Apesar de seu bebê não poder falar, ele é capaz de se comunicar por meio de gemidos, gritos e choros, que chamam sua atenção para algo que ele está precisando.

Cada forma de se manifestar está relacionada a uma necessidade e emoção, por isso, saber um pouco mais sobre os tipos de choro vai ajudá-la a decifrar com mais facilidade o que seu bebê está querendo dizer.

No post de hoje, explicaremos 5 diferentes tipos de choro de bebê. Desse modo, você poderá identificar o que ele precisa nas mais diversas situações e saberá melhor o que fazer para deixá-lo tranquilo. Acompanhe!

Fome

Quando o bebê é recém-nascido, o processo de amamentação é difícil para você e para ele, afinal, é tudo muito novo. Com isso, o bebê vê a fome quase como uma dor e aí ele chora:

  • choro: é agitado, rítmico e repetitivo, combinado com outros sinais, como abrir e fechar as mãos, realizar movimentos de sucção com a língua ou colocar os dedos na boca;
  • solução: sem dúvida alimentá-lo é a única coisa que fará o choro parar.

Cansaço ou desconforto

Assim como os adultos, os bebês também se sentem cansados ou desconfortáveis diante de inúmeras situações. E para expressarem essa sensação partem para o chororô:

  • choro: anasalado e contínuo que ganha intensidade com o tempo. Geralmente, é acompanhado de bocejos, mãos esfregando os olhos ou os ouvidos;
  • solução: verifique se há uma fralda suja, mude-o de posição e coloque-o para dormir (lembre-se de que os recém-nascidos costumam precisar de até 16 horas de sono por dia).

Excesso de estímulo

Se você acha que dar muitos brinquedos para o seu bebê ou colocá-lo num local com muitas distrações é capaz de acalmá-lo, saiba que o excesso de estímulo também pode levar ao choro:

  • choro: dentre os tipos de choro de bebê, esse é o mais agitado e irritado, acompanhado de tentativas de afastar a cabeça ou o corpo de fontes visuais ou sonoras;
  • solução: procure afastar seu bebê do barulho, do movimento, da estimulação visual, ou seja, do que possa o estar incomodando. Um ambiente mais calmo, uma gravação de sons da natureza ou músicas clássicas podem ajudar a relaxá-lo.

Tédio


Os bebês têm
um monte de coisas para explorar e descobrir. Ficar sem nenhum tipo de estímulo ou atividade também pode provocar aquele choro de quem está entediado:

  • choro: é caracterizado por ser alto e manhoso, seguido de sinais de indignação, caso seu chamado não seja atendido;
  • solução: pegue seu bebê no colo, brinque, coloque-o diante de algum estímulo como um brinquedo ou distração visual e sonora. Uma boa dica é investir numa bolsa canguru, para que ele esteja em um íntimo contato com você.

Cólica

O sistema digestório do bebê ainda é imaturo em seus primeiros meses, o que gera cólicas e desconfortos constantes, E adivinha? Ele chora!

A cólica ocorre frequentemente no final da tarde ou à noite, e os episódios podem durar horas. Geralmente, começam em cerca de 3 semanas após o nascimento e desaparecem quando o bebê tem de 3 a 4 meses de idade:

  • choro: gritos intensos acompanhados de movimentos inquietos;
  • solução: por mais difícil que seja acalmar um bebê com cólica, você pode tentar fazer massagens específicas, dar um banho quentinho, fazer compressas, entre outras técnicas.

Seu filho vai chorar bastante até aprender a se comunicar com as palavras. Dessa forma, saber mais sobre os tipos de choro de bebê vai te ajudar — e muito! — a entender o que ele necessita.

Se gostou do post, compartilhe nas suas redes sociais para que outras futuras mamães também saibam como agir nesses momentos inquietos do neném!

Comentar