Bem-estar da mamãe Cuidados com o bebê Enxoval do bebê Recém Nascidos

Polvinhos de crochê: como eles ajudam os recém-nascidos

Livro Mãe Fora da CaixaPowered by Rock Convert

Você já deve ter visto no Facebook ou em sites de notícias algo sobre polvinhos feitos de crochê e como eles fazem bem aos pequenos que nasceram prematuros. Apesar da ideia ter nascido na Dinamarca em 2013 através do Projeto Octo, essa iniciativa só foi colocada em prática neste ano aqui no Brasil. E, assim como a fofura, a repercussão foi grande!  A proposta é fazer com que os bebês se sintam mais seguros e confortáveis durante o período na incubadora, superando essa fase com mais rapidez. Para isso, os polvos em crochê são excelentes companheiros. Continue a leitura e entenda o porquê!

Como aconchego da mãe

Esse é o grande segredo dos polvinhos de crochê: ao abraçarem o bichinho e sentirem os tentáculos, os recém-nascidos associam à sensação de segurança que tinham na barriga da mamãe. Sem falar na textura do crochê, que proporciona mais conforto enquanto os pequenos estão se estabilizando na UTI neonatal. Mas, ainda que o projeto tenha como foco os bebês prematuros, os polvinhos de crochê são benéficos também para bebês que nasceram no tempo adequado e até para os maiorzinhos.

Amizade que faz bem

Livro Mãe Fora da CaixaPowered by Rock Convert

Esse sentimento de aconchego faz com que os bebês prematuros tenham mais chances de melhorar o quadro clínico, o que contribui para um desenvolvimento mais saudável. Quando a técnica foi aplicada no Hospital Universitário Aarhus, pioneiro em receber essa fofura, os médicos logo perceberam que os recém-nascidos que tiveram contato com os polvos de crochê apresentaram maior nível de oxigênio no sangue e melhora nos sistemas cardíaco e respiratório. E pensar que uma ideia tão simples e graciosa pode ser também tão benéfica. Incrível, não é mesmo?

Requisitos para ser um bom polvo de crochê

Mesmo com tanta doçura, os polvinhos também precisam ser seguros para os bebês. Para que esses bichinhos possam ser realmente bons amigos dos pequeninos, é importante que sejam feitos em 100% algodão. Isso permite que sejam lavados e diminui o risco de agredir a pele dos bebês, que é bastante sensível. Além disso, os tentáculos devem ter, no máximo, 22 centímetros.

Com isso, as mamães podem contar com esses fiéis  – e superfofos – escudeiros para ajudarem os recém-nascidos prematuros a ficarem mais tranquilos e calmos na maternidade. Assim, os pequenos já vão crescer aprendendo desde cedo que, com carinho, tudo fica mais fácil de acontecer.

Você gostou da ideia? Conhece algum caso de bebê que teve o companhia dos polvinhos de crochê? Compartilhe a sua opinião e as histórias aqui nos comentários!

Comentar