Parto normal ou cesariana: existe uma melhor opção?

7 minutos para ler
Cuidados com Recém NascidosPowered by Rock Convert

Se você é uma futura mamãe, provavelmente já se perguntou — ou foi questionada por alguém — se vai optar por realizar um parto normal ou cesariana. Esse é um assunto, inclusive, que tem levantado muitas dúvidas nas mulheres que optaram por se tornar mães, já que existe um verdadeiro cabo de guerra entre as defensoras do parto normal e as do parto cesariana.

Mas, afinal, existe uma melhor opção para a saúde da mãe e do bebê? Existe uma técnica que é priorizada pelos médicos? Existe realmente mais vantagens ou mais desvantagens em alguma das opções? Se você tem essas e outras dúvidas em relação a essa importante escolha na sua vida, confira o nosso artigo sobre o assunto!

Parto cesariana: o que é e quais suas características?

O parto cesariana é, nada mais, nada menos, do que um procedimento cirúrgico. Isso significa que é um procedimento que deve ser feito com a supervisão de um profissional que esteja capacitado para realizar a abertura necessária na região do ventre da mulher para a saída do bebê. O fato de ser uma cirurgia também demanda alguns cuidados básicos, antes, durante e depois da cirurgia, que devem ser obedecidos por todos os envolvidos no nascimento da criança: a mãe, o médico e os auxiliares de enfermagem.

A anestesia, na cesariana, é um procedimento padrão, visto que sem ela é impossível seguir com o procedimento cirúrgico. Ela pode ser a raquidiana (que tem ação rápida e administração menor de volume de medicamento) ou a peridural (que é aplicada continuamente na gestante, tem ação longa e maior administração de volume de medicamento). Ambas são aplicadas nas vértebras das costas e anestesiam a região do ventre e as pernas da mulher.

A cesariana dura em média uma hora, pois é feita com hora marcada no bloco cirúrgico e o procedimento é relativamente simples.

Parto normal: quais são suas diferenças?

O parto normal é um procedimento mais longo e com menor intervenção médica para o nascimento do bebê. Para que ele aconteça, a mulher precisa passar por uma situação conhecida como dilatação do colo do útero, que é indispensável para o nascimento do bebê. A dilatação considerada ideal para que o parto aconteça sem problemas é de cerca de 10cm. Quando isso não acontece, o médico ainda tem a opção de fazer um pequeno corte na região da vagina, para facilitar a saída do bebê.

O parto normal é um procedimento bastante natural, já que ele só ocorre quando as contrações uterinas se tornam fortes o suficiente para fazer uma pressão para “expulsar” o bebê para o lado de fora do útero. Toda essa etapa que envolve o desenvolvimento das contrações até o momento certo do nascimento é conhecido como trabalho de parto e ele pode ter durações diferentes, de acordo com a resposta do organismo materno.

Existe algum tipo de parto mais recomendado para cada situação?

Apesar das várias polêmicas que envolvem o assunto parto normal versus parto natural, não é certo afirmar que existe um tipo mais seguro ou ideal de parto para todas as mulheres. Cada organismo responde de maneira diferente aos estímulos do nascimento da criança e, por isso, um dos tipos de parto vai ser considerado o ideal para aquele momento.

Papinhas para BebêPowered by Rock Convert

É claro que o procedimento mais natural e fisiológico, tanto para a mãe quanto para o bebê, é o parto normal, visto que ele é realizado com o mínimo de intervenção médica possível. Isso não torna o parto cesária, entretanto, uma técnica perigosa e pouco recomendada. A cesária foi desenvolvida exatamente para solucionar os problemas de mulheres que não conseguiam ter filhos com a técnica de parto normal, seja por problemas de dilatação ou por condições clínicas desfavoráveis. Hoje, milhares de crianças já nasceram com a ajuda dessa técnica cirúrgica e são tão saudáveis quanto as mesmas crianças que puderam nascer por meio do parto normal.

Vale a pena reforçar que, em caso de não apresentar complicações, a primeira técnica a ser utilizada para o nascimento do bebê é sempre a do parto normal, por exigir menor mão de obra médica e cuidados clínicos com a mãe e a criança. Entretanto, ter que optar pela cesariana para passar por um parto seguro não é motivo de vergonha para nenhuma mulher, visto que ela se tornará mãe da mesma maneira!

Como é o uso da anestesia nas duas situações?

Em ambos os tipos de gestação, a anestesia é utilizada para ajudar a diminuir o desconforto da futura mamãe durante o nascimento de seu filho. Essa ideia que muitos defensores do parto natural vêm apresentando, que sentir as dores do parto é uma situação normal, não precisa ser aplicada a você. A anestesia é um suporte clínico importante para que o nascimento do seu filho seja o mais confortável possível e para que você participe totalmente do momento em que ele está saindo do seu útero para começar sua própria vida.

A grande diferença da anestesia no parto normal e na cesariana é que, no segundo caso, ela é uma condição obrigatória, visto que a cesariana é um procedimento cirúrgico e sem ela não é possível realizar intervenção clínica nenhuma. No parto normal, a anestesia ajuda a minimizar as dores da contração e o desconforto do nascimento, permitindo que a mãe passe por esse momento sem ter que passar por nenhum tipo de sofrimento.

Existem indicações clínicas só para cesária ou só para o parto normal?

Existem indicações clínicas para que a mulher tenha que optar por uma cesárea em vez de um parto normal. As indicações são as seguintes:

  • Sofrimento fetal agudo diagnosticado pelo médico;
  • Bebês acima de 4.500g;
  • Gravidez de gêmeos com risco de vida para um dos bebês;
  • Bebê que não está “encaixado” corretamente para nascimento (sentado ou na transversal);
  • Quadros de descolamento de placenta, placenta prévia ou posição irregular do cordão umbilical;
  • Diagnóstico de má formação congênita;
  • ​Diagnóstico de doenças crônicas na mãe (como AIDS, doenças cardiovasculares, pulmonares, intestinais e herpes genital);
  • Realização de cesariana no parto anterior;
  • Tentativa de indução de parto normal sem sucesso.

O parto normal, por sua vez, é indicado em todas as outras situações não apresentadas, quando não há risco para a saúde da mãe e do bebê.

Parto humanizado é diferente de parto normal?

Outra dúvida que costuma intrigar as futuras mamães tem relação com o parto humanizado, o parto normal e as diferenças entre cada um desses procedimentos. A principal diferença do parto humanizado para o normal é que no primeiro a gestante tem total controle e decisão sobre todos os aspectos que estão relacionados com o trabalho de parto — desde a posição que ela pretende ficar até o uso de anestesia e em que local o bebê vai nascer. No parto humanizado o médico e sua equipe trabalham somente com um suporte para a gestante, garantindo seu conforto e segurança durante todo o nascimento da criança.

O parto normal e a cesariana, portanto, são dois tipos diferentes de técnicas para o nascimento do bebê, que apresentam vantagens para diferentes quadros clínicos encontrados no momento do nascimento. A escolha da melhor técnica para você deve ser feita em conjunto com seu obstetra de confiança, que vai respeitar suas particularidades e lhe tranquilizar de acordo com seus medos e inseguranças.

Você já decidiu se irá optar por parto normal ou cesariana? Conte para a gente e tire todas as suas dúvidas sobre esse assunto!

Cuidados com Recém NascidosPowered by Rock Convert
Posts relacionados

Deixe um comentário