Gestação

Menino ou Menina? Quando e como descobrir o sexo do bebê

Escrito por Equipe Fraldário

Descobrir uma gravidez pode significar a realização de um sonho para muitas mulheres. Se chegou a sua vez e você não vê a hora de contar ao mundo se o seu bebê é menino ou menina, descobrir quando saber o sexo do bebê certamente está entre as suas prioridades, não é?

Depois de toda a euforia de descobrir a gravidez e comemorar este momento mágico com a família, mamães e papais ficam ansiosos para descobrir se esta pessoinha que começa a se desenvolver é um menino ou uma menina.

Quer entender qual é o momento certo de descobrir o sexo do bebê? Continue a leitura e prepare-se para escolher o nome do pequeno que está prestes a alegrar ainda mais a sua vida!

Ansiedade para saber o sexo do bebê

Como sabemos, a chegada de um bebê envolve não só a preparação do lar. Aos poucos, papai e mamãe iniciam todo um processo de convivência com a pessoinha que está se desenvolvendo ali, silenciosamente, e que logo fará parte de suas vidas.

Durante o período de espera, é comum os futuros pais começarem a conversar com o neném ainda dentro da barriga. Portanto, saber o sexo permite escolher um nome e reforçar a identidade da criança, promovendo uma interação que logo começa a ser respondida pelo bebê.

Mas não é só isso! A descoberta do sexo envolve diversos preparativos muito aguardados pelos pais. A escolha dos elementos decorativos do quarto, a cor das roupinhas e enxoval e a lembrancinha oferecida aos amigos que visitam o bebê, por exemplo, são apenas alguns dos detalhes conduzidos a partir dessa informação.

Já que falamos das razões que levam tantos pais a desejarem saber o sexo do bebê, é hora de saber a partir de quando já é possível descobrir se vai ser menino ou uma menina.

A partir de quando, dá para saber o sexo do bebê?

Em primeiro lugar, vale a pena lembrar que até a 12ª semana de gestação essa informação é imprecisa. A partir desse marco, papais e mamães podem esperar entre 99 e 100% de acerto.

Agora que você entendeu quando já dá para saber o sexo do bebê, vamos aos exames indicados para matar essa curiosidade? Antes disso, um aviso super importante sobre as fake news que envolvem este tema.

Não se deixe enganar por simpatias

Com tantas simpatias e falsas promessas, é preciso identificar o método mais seguro para não errar na avaliação.

Não faltam amigos e pessoas queridas para opinar, contar superstições e realizar cálculos que, segundo eles, revelam essa informação preciosa. Eles interpretam tabelas, supõem a partir da idade da mãe, falam da posição da barriga e muitas outras coisas.

As brincadeiras e simpatias para descobrir qual é o sexo do bebê fazem parte das tradições familiares. Embora os mais velhos acreditem que é realmente possível adivinhar o sexo por meio delas, esses costumes não são comprovados cientificamente e, por isso, não devem ser seguidos à risca.

Cientificamente falando, nenhum desses métodos é válido para determinar o sexo de uma criança, e tais crenças apenas fazem parte de uma cultura popular. A realização de exames médicos é a única garantia de que essa definição será feita de forma precisa.

O poder do garfo e da colher?

Essa simpatia ainda é feita por muita gente, e funciona assim: sem que a gestante veja, outra pessoa esconde um garfo sob uma almofada e uma colher sob outra.

Em seguida, a futura mamãe deve sentar em cima de alguma delas. Se a escolhida for a que escondia a colher, o bebê é uma menina; se for aquela onde estava o garfo, será um menino.

Campanha de Doação de Fraldas

Você prefere alimentos doces ou salgados?

Outra brincadeira comum entre os brasileiros é utilizar a preferência alimentícia da futura mamãe para adivinhar o sexo do bebê.

Se, durante a gestação, você desejar mais alimentos doces, dizem que existe grande possibilidade de o bebê ser uma menina. Se optar por mais alimentos salgados, provavelmente será um menino.

O resultado é par ou ímpar?

Mesmo quem não gosta de matemática já deve ter escutado essa teoria por aí: some a idade da gestante ao número que representa o mês da fecundação do feto até chegar a um único algarismo.

Por exemplo: se a mãe tiver 30 anos e tiver engravidado em março: 30+03 = 33, 3+3 = 6. Tendo o algarismo 6 como resultado, o bebê pode ser uma menina, pois números pares representam o sexo feminino e os ímpares representam os masculinos.

Como você viu, existem muitas simpatias que prometem descobrir o sexo do seu bebê. Mas lembre-se que elas não passam de crenças populares e, por isso, devem ser consideradas apenas uma forma de interação e brincadeira entre os familiares e amigos!

Métodos realmente confiáveis

A única alternativa realmente segura e garantida para descobrir o sexo do bebê é o ultrassom. Ele pode ser feito a partir do segundo trimestre da gestação, período que se inicia no quarto mês.

Para isso, escolha uma clínica médica que seja reconhecida e que tenha bons aparelhos, pois a qualidade e a tecnologia da máquina de ultrassonografia são o segredo para uma boa visualização das diferenças dos órgãos genitais feminino e masculino.

Ultrassom

O aparelho de ultrassom é capaz de criar a imagem do seu bebê por meio das ondas do som. Por meio desse exame, é possível visualizar, além do feto, a placenta, o útero e os órgãos da criança. Com o conjunto dessas imagens, o médico recolhe informações sobre a saúde do seu filho e sobre sua gravidez.

É o exame utilizado com mais frequência para determinar o sexo do bebê. A partir do segundo trimestre — ou quarto mês de gestação —, é possível perceber diferenças, a princípio sutis, entre os órgãos sexuais femininos e masculinos do feto. Antes desse período, as margens de erro são maiores.

Mas até esse exame encontra algumas limitações. A primeira delas é a posição do feto. Ele pode estar encolhidinho e quietinho, o que impede a visualização da área genital. Além disso, a experiência do médico e a qualidade do equipamento podem facilitar ou dificultar a definição do sexo.

A boa notícia para as mamães ansiosas é que os avanços da tecnologia têm ajudado bastante no processo de quando saber o sexo do bebê. Hoje, já existem opções de ultrassom com coloração virtual e até mesmo em 3D e 4D! Não é demais?

Exame de sangue de sexagem fetal

Apesar de poder ser realizado a partir da 8ª semana de gestação, esse ainda é um exame caro e invasivo, e por isso pouco escolhido pelas futuras mamães.

Exame de urina de farmácia

Calma, não estamos falando que todo teste de farmácia identifica o sexo do bebê, mas o mercado já dispõe de produtos que fornecem esta informação a partir da 10ª semana! No entanto, o preço ainda é bem alto para os padrões brasileiros.

Exames genéticos

Esse tipo de exame também consegue revelar o sexo do bebê já a partir da 10ª semana. No entanto, o procedimento é altamente invasivo e traz riscos ao feto.

Por isso, ele é recomendado apenas quando o médico considera importante realizá-lo para detectar outros problemas, conforme orientação estrita e quando há motivo para realizar a investigação.

Se você gostou do conteúdo, compartilhe esse post nas suas redes sociais e ajude outros outras mamães de primeira viagem a descobrir quando saber o sexo do bebê!