Guia Completo para o 1º ano de vida do bebê

12 minutos para ler

Para quem sempre sonhou em ser pai ou mãe, o primeiro ano de vida do bebê é um momento recheado de novas experiências e expectativas, que podem alegrar e até mesmo assustar os aventureiros de primeira viagem. Todas as primeiras experiências de seu filho, desde o primeiro sorriso até as primeiras palavras e passos serão vivenciadas nos próximos 12 meses depois do nascimento.

Da mesma maneira que os pais devem estar preparados para essa chuva de emoções inéditas, é preciso também que eles entendam que esse ano é um período em que o cuidado com a saúde e com o desenvolvimento do seu bebê será extremamente importante. Como esses 12 meses são essenciais para o crescimento saudável do novo membro da família, qualquer descuido com algum detalhe importante da rotina pode atrapalhar essa deliciosa experiência de ver seu filho se desenvolver.

Para ajudar os pais que ainda se sentem inseguros com essa nova jornada, preparamos este artigo.

1. Introdução

Aqui você vai contar com importantes dicas que te ajudarão a enfrentar esses novos desafios com a calma e serenidade de que você precisa — além do carinho que seu bebê merece.

Boa leitura!

2. Recebendo o bebê em casa

O primeiro contato do bebê com o lar em que ele vai viver é uma das etapas mais importantes do primeiro ano de vida da criança com os pais. Algumas mudanças, não somente na sua rotina, mas na maneira como você monta e faz a sua casa funcionar, serão necessárias daqui para frente para que nenhum risco evitável esteja relacionado com o dia a dia do bebê.

Neste capítulo separamos algumas dicas para você se preparar para receber o seu filho em casa:

2.1 Monte o quarto ideal para o bebê

Quando falamos em montar o quarto perfeito para seu bebê não estamos querendo dizer que deve fazer um grande investimento. Apenas alguns itens indispensáveis e mudanças simples no design e na disposição do local já podem te ajudar a criar o quarto perfeito.

O primeiro detalhe deve ser o berço, que não pode ser baixo demais, e nem muito alto, mas sim na altura perfeita para os pais poderem confortavelmente colocar e retirar seu filho do local. Uma cômoda para colocar roupinhas e outros itens do bebê também é indispensável, assim como um confortável local para posicionar a poltrona de amamentação da mãe.

A logística da disposição do quarto deve ser a mais simples possível: móveis, sempre que possível, encostados na parede, evitando deixar objetos ou outros itens em locais do quarto que possam favorecer acidentes quando os pais ou visitas estiverem carregando o bebê.

2.2 Garanta que sua casa esteja abastecida

Contar com a geladeira cheia nos primeiros dias da chegada do bebê, com alimentos semiprontos e refeições rápidas, simples e saudáveis, é uma ótima ideia para evitar a tradicional correria para se alimentar quando seu filho estiver dormindo.

Fazer o estoque de itens para o bebê, como medicamentos, creme para assaduras, fraldas e até materiais de higiene e cuidados para a mãe também é uma boa ideia para que ninguém tenha que correr para a farmácia caso identifiquem a falta de algum material necessário.

2.3 Faça uma lista de telefones que você pode precisar

Sabe aquela famosa listinha de papel que você costuma colocar na geladeira para não se esquecer de alguma tarefa ou da compra de algum item de supermercado? Faça uma listinha semelhante com telefones que você sabe que serão importantes nesses primeiros meses de vida do seu bebê.

O contato do pediatra, do seu hospital de referência, de seus pais ou de algum amigo que sempre está disposto a ajudar são algumas boas ideias de números que devem estar sempre ao alcance da sua mão.

2.4 Planeje uma rotina de descanso com seu parceiro

Por mais que todas as pessoas lhe digam que os primeiros meses de vida do bebê são os mais emocionantes, eles também são considerados uns dos mais exaustivos momentos da vida dos pais. Por esse motivo, antes mesmo de recebê-lo na sua casa, tente organizar uma rotina de descanso com seu parceiro para que vocês possam estar sempre bem-dispostos no momento de cuidado do seu bebê.

Lembre-se de que acordar de madrugada, dar banho e até mesmo trocar a fralda jamais devem ser vistas como atividades exclusivas da mãe, ok?

3. Como é o desenvolvimento do bebê no primeiro ano de vida?

A newborn baby wrapped in a hospital blanket crying in Middletown

Nada é mais gostoso para a rotina de um pai ou de uma mãe do que acompanhar o desenvolvimento do seu bebê durante o primeiro ano de vida. Nesses próximos 12 meses você vai vivenciar talvez as principais mudanças pelas quais seu filho vai passar em toda a sua vida e, por esse motivo, é tão emocionante e prazeroso acompanhar esses detalhes do dia a dia da família.

3.1 Recém-nascidos

Os bebês, logo quando nascem, têm pouca ou nenhuma percepção sobre o mundo em que vivem. Apesar de já serem capazes de reagir a alguns estímulos, como o do toque e da voz humana, o bebê que acabou de nascer não tem capacidades visuais muito extensas e passa a maior parte do seu dia dormindo para garantir o fornecimento de energia adequado para seu desenvolvimento físico e cognitivo. O choro, por sua vez, é praticamente sua maneira exclusiva de se conectar com o mundo e se comunicar com seus pais.

3.2 Um mês

No primeiro mês de vida, o bebê já demonstra uma boa evolução de sua capacidade cognitiva, passando mais tempo de sua rotina acordado e já sendo capaz de perceber movimentos ao seu redor com os olhos. Os reflexos corporais também já são comuns, expressando alegria, e eles reagem facilmente a sons e vozes.

3.3 Dois meses

No segundo mês de vida o bebê já é capaz de começar a identificar os rostos dos pais, reagindo a gargalhadas, sorrisos e sons. Começa também, nesse mês, a mostrar interesse por brinquedos e objetos que estão ao seu redor.

3.4 Três meses

Nessa idade o bebê já é capaz de usar as próprias mãos para tentar explorar o universo que se encontra ao seu redor. É nessa fase também que ele começa a mexer o corpo e sorrir quando brincam e se comunicam com ele.

3.5 Quatro meses

Uma das fases mais gostosas do primeiro ano de vida do bebê é o quarto mês, quando ele começa a se tornar capaz de imitar sons que estão à sua volta e observar tudo e todos com muita atenção. É nessa hora também que ele começa a compreender rotinas, reconhecer objetos e descobrir o próprio corpo.

3.6 Cinco meses

Aos cinco meses o bebê já está bastante atento a tudo que acontece e usa bastante o corpo para se movimentar — além de emitir muitos sons só para chamar a atenção dos pais.

3.7 Seis meses

O bebê de seis meses é bastante alerta e já tem importante relação com as pessoas e o meio onde vive. Já é capaz de fazer movimentos com os braços pra pedir colo, identificar-se no espelho, demonstrar simpatia ou medo de algo ou alguém, atende quando chamamos pelo nome e começa a verbalizar palavras monossilábicas.

A licença materinidade de várias empresas é de 6 meses. Leve isto em consideração a partir do 6o mês. aqui você encontra algumas dicas para conciliar gravidez e carreira sem grandes problemas.

3.8 Sete meses

Nessa idade o bebê já identifica a palavra não, consegue se movimentar até um objeto que quer buscar e consegue até mesmo identificar quando perde um brinquedo durante uma atividade.

3.9 Oito meses

O bebê já tem uma capacidade de memória importante nessa fase da vida. Ele reconhece brincadeiras, músicas e objetos, além de responder imediatamente ao seu próprio nome quando é chamado.

3.10 Nove meses

Aos nove meses ele já faz movimentos importantes para se comunicar, como dar tchau, apontar para alguém ou algo, e até levantar os pés para colocar os sapatos.

3.11 Dez meses

As brincadeiras se tornam mais frequentes e interessantes nessa fase. Ele consegue compreender livros de ilustrações, gosta de jogar os brinquedos no chão para que outras pessoas o procurem, além de ter uma boa noção de espaço.

3.12 Onze meses

O senso de humor é aqui a principal característica. Nessa fase os bebês brincam e gostam que brinquem com eles. Costumam responder a perguntas que resultam em sim ou não e podem começar a verbalizar pequenas palavras, especialmente se a repetição for estimulada pelos pais.

3.13 Doze meses

O desenvolvimento completo do bebê pode ser observado nessa idade. Ele já é capaz de identificar seus brinquedos ou programas de TV favoritos, dá beijos nos pais ou visitas e já começa a falar palavras que fazem sentido, além de responder a indagações que fazem parte de sua rotina como, por exemplo, “cadê a mamãe?” ou “cadê o seu brinquedo?”.

4. Como deve ser a alimentação do bebê?

Black and white photo of mother holding baby in soft light

Tão importante quanto o estímulo ao desenvolvimento cognitivo do bebê e também a garantia de segurança na sua rotina de vida, é a oferta de uma alimentação balanceada e adequada para o crescimento correto de seu filho.

Tanto a Organização Mundial de Saúde (OMS) quanto a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) recomendam alimentação exclusiva do bebê com o leite materno, salvo casos em que a mãe ou o filho apresentem condições que impeçam essa oferta (nesse caso, o uso de fórmulas infantis especializadas são as melhores opções para nutrir o bebê de maneira correta e eficiente).

A partir desse período, a introdução de alguns alimentos é feita aos poucos, porém sem substituir a oferta do leite por, pelo menos, até um ano. O Ministério da Saúde Brasileiro recomenda que a amamentação ainda seja incentivada como alimentação complementar para o bebê até os dois anos de idade.

4.1 O que oferecer ao bebê a partir do sexto mês de vida?

As papinhas e as frutas raspadas são o primeiro contato que o bebê vai ter com a sua rotina alimentar futura. É muito importante que os sabores dos alimentos sejam valorizados para que ele possa começar a se adaptar com um pouco de tudo. Nos primeiros meses após a introdução alimentar, a papinha deve ser somente um complemento para alimentação da criança, não devendo jamais substituir um horário da mamada. Os alimentos devem estar sempre bem cozidos e é preciso evitar as frutas ácidas. A água também começa a ser oferecida para o bebê nessa primeira etapa, em volumes pequenos.

A partir dos sete meses, as carnes podem ser adicionadas às sopinhas e aos purês, no horário do almoço ou no jantar, desfiadas ou moídas, para serem ingeridas com mais facilidade. Prefira sempre as carnes de frango ou cortes magros de boi, deixando porco, peixe e outros tipos para ingerir depois do primeiro ano de idade.

Aos nove meses, alimentos inteiros e de fácil digestão também podem começar a ser adicionados à dieta do bebê. Arroz, macarrão, feijão e outras leguminosas já entram no cardápio diário da criança — que agora já substitui algumas mamadas do dia — e o ovo também pode ser usado como opção para fonte de proteína (mas fique atento para crianças que podem apresentar alergia a esse alimento).

Após um ano de idade, a grande maioria dos pediatras e nutricionistas afirma que o bebê pode começar a comer de tudo, introduzindo gradativamente os alimentos de acordo com sua facilidade de mastigação e desenvolvimento dos dentes. Para saber exatamente como equilibrar o fornecimento de leite materno e de alimentos naturais, é sempre interessante consultar um especialista no campo da nutrição para auxiliar nas quantidades corretas e nessa transição.

5. Cuidados no primeiro ano de vida do filho

Para finalizar esse guia do primeiro ano do bebê, é muito interessante que os pais tomem conhecimento de alguns outros cuidados que são indispensáveis na rotina do filho. Desde a atenção com o tipo de brinquedo oferecido, até mesmo a frequência com que você deve levá-lo ao pediatra, são alguns pontos que vão demandar a sua atenção ao longo dos próximos doze meses.

Preparamos abaixo uma pequena listinha do que você não pode esquecer. Confira:

Converse logo na primeira consulta com seu pediatra sobre a frequência de visitas que você precisará ter para os próximos meses. Não deixe também de tirar todas as dúvidas sobre vacinação e outros cuidados relacionados com a saúde do seu bebê;

Compre brinquedos e roupas que estejam de acordo com a faixa etária do seu filho. Escolher itens que são muito maiores ou muito pequenos e apertados pode comprometer o desenvolvimento dele, ou até colocar a sua saúde em risco;

Nunca deixe de interagir com seu filho. O estímulo dos pais é o principal ponto para o desenvolvimento adequado do bebê — e também indispensável para que vocês tenham uma boa relação ao longo da vida.

6. Conclusão

O primeiro ano de vida do seu filho é, como já descrevemos, um dos momentos mais emocionantes da vida dos pais. Quando você é capaz de controlar todas as variáveis que podem colocar em risco o bem-estar, a saúde e o desenvolvimento do seu pequeno, poderá assegurar-se de que ele tem boas condições de se tornar uma criança saudável e feliz — alegrando ainda mais o seu lar e te enchendo de amor.

Esperamos que você tenha gostado das dicas especiais que separamos nesse e-artigo!

Posts relacionados

Deixe uma resposta