/ Gestação

Quais são as fases da gestação de um bebê

Estar grávida e ser uma mamãe de primeira viagem não é uma tarefa simples. Afinal, além de possuir dúvidas sobre o período gestacional, a mulher também fica insegura sobre os cuidados com o bebê e como lidar com a vida profissional e o casamento durante essa fase tão delicada.

Desse modo, a fim de evitar a ansiedade durante os 9 meses de espera, é necessário planejamento e busca por informações de qualidade. Para ajudar as mulheres que desejam engravidar ou já estão grávidas e desejam tirar as dúvidas, preparamos este post sobre as particularidades das fase da gestação.

Assim, a futura mãe será uma pessoa preparada e saberá lidar com as mudanças e sinais de seu corpo conforme a gravidez evolui. Vamos conferir?

1º trimestre

O 1º trimestre compreende, basicamente, os três primeiros meses de gestação. Nessa fase as mudanças físicas ainda não são tão evidentes, visto que o bebê é apenas um pequeno conjunto de células. Isso acontece especialmente na primeira gravidez, pois as fibras musculares ainda não foram estiradas para acomodar o útero em crescimento.

Porém, a presença do bebê já é suficiente para provocar alterações hormonais na mulher. A progesterona, hormônio presente no ciclo mensal feminino, é responsável por manter a gravidez durante o 1º trimestre, enquanto a placenta ainda não está formada. Durante a gravidez, seus níveis estão mais altos, podendo atingir uma quantidade sanguínea até 30 vezes maior que o normal.

Uma das características da progesterona é promover retenção hídrica. Assim, a mulher se sente inchada e com os seios doloridos. Além disso, como os níveis de estrógeno também aumentam, é comum que nessa fase a grávida sinta dor de cabeça, tenha crises de rinite ou surtos de calor, visto que esse hormônio aumenta a circulação sanguínea do corpo. O aumento dos hormônios pode ainda criar oscilações no humor, o que deixa a grávida muito sensível sentimentalmente.

Devido a todo o esforço para manter o delicado embrião, a mulher se sente muito cansada e sonolenta. Náuseas e vômitos também são frequentes, principalmente devido a um maior estímulo do vago, nervo que controla a glândula responsável pela fabricação de saliva, chamada parótida. Esse processo faz com que a mulher produza mais saliva alcalina, o que provoca os enjoos e, consequentemente, vômitos. Além disso, o olfato está mais aguçado, o que pode causar certa repulsa por alimentos e náuseas.

2º trimestre

Passado o 1º trimestre, a maioria das mulheres encontra um período mais calmo na gestação. Agora a placenta já está completamente formada e é responsável inteiramente pela nutrição do bebê, que se desenvolve muito rápido. Assim, há um aumento considerável da barriga, o que pode causar coceiras devido ao estiramento da pele. A dica é hidratar essa região e os seios com frequência, a fim de evitar a formação de estrias.

Nesse trimestre também é normal sentir dores nas costas devido ao aumento do peso do neném, o que altera o centro de gravidade da mulher e faz com que ela se curve para trás para encontrar uma posição de equilíbrio. Assim, é preciso estar atenta a postura e se manter ereta.

Algumas grávidas sofrem com a prisão de ventre nesse período, o que é normal devido a pressão feito nos intestinos. Para melhorar o quadro, é interessante incluir muitas fibras na dieta e beber bastante água. Além disso, devido ao crescimento do bebê e aumento do útero, a futura mãe pode sentir necessidade de urinar várias vezes ao dia. Isso ocorre porque o útero comprime a bexiga, sendo um sintoma bastante comum. Nessa fase, vá ao banheiro sempre que sentir necessidade, visto que segurar a urina pode trazer complicações, como a infecção urinária.

Além disso, como as taxas de hormônios continuam altas, a mulher pode continuar a sentir inchaço, principalmente nos pés, calor excessivo e alterações no humor. No entanto, os enjoos incômodos do primeiro trimestre não estão mais presentes.

Ao fim do 2º trimestre é comum que a grávida se sinta cansada, mas tenha insônia. Isso porque a ansiedade aumenta, o que atrapalha o sono e afeta atenção e memória. Desse modo, priorize momentos de descanso e tente relaxar. A linha nigra, uma linha escura que atravessa a barriga verticalmente, também pode aparecer nesse período, devido a uma maior sensibilidade na pigmentação da região durante a gravidez.

3º trimestre

No terceiro trimestre a futura mamãe se prepara para uma das fases de maior ansiedade. Afinal, a mulher deseja ver o rosto do seu bebê, mas ao mesmo tempo possui dúvidas sobre os cuidados e se será uma boa mãe. É comum que o sentimento de desespero aconteça em grande parte das gestantes, assim, não é preciso se sentir culpada. Essa é apenas uma fase de transição e, quando o bebê chegar, a mãe se sentirá mais segura e disposta.

O bebê continua crescendo, o que faz com que o peso da barriga aumente e cause mais dores nas costas e nas pernas. Além disso, o útero aumentado continua a pressionar a bexiga, o que pode causar aumento da frequência urinária na gestante. O mesmo efeito acontece nos intestinos e grávida pode vivenciar mais episódios de prisão de ventre.

Além disso, nessa fase o bebê está mais ativo e se movimenta bastante na barriga da mãe. Assim, é comum que grávidas experimentem algumas sensações dolorosas. O tamanho da barriga causa dificuldade em algumas ações, como se vestir, tomar banho e até respirar. Isso acontece porque o útero pressiona o diafragma, estrutura essencial para o movimento respiratório dos pulmões. Assim, a grávida se sente ainda mais cansada.

Os seios continuam a crescer e podem chegar a aumentar até três vezes de tamanho. Isso ocorre porque as glândulas mamárias se multiplicam e há acúmulo de gordura, visto que o parto está mais próximo e será necessário produzir leite.

Outra alteração que ocorre mais comumente no 3º trimestre são as falsas contrações. Diferentemente das verdadeiras, que são ritmadas, dolorosas e indicam que o parto está próximo, as contrações não verdadeiras são esporádicas, não dolorosas e irregulares. Porém, apesar de indolores, essas contrações podem ser desconfortáveis, e acontecem mais ao final do dia quando a mulher está cansada.

Se a gravidez está correndo de forma tranquila, não há motivo para alarde, sendo que a grávida deve apenas descansar e tentar relaxar. No entanto, se elas se tornarem regulares e dolorosas, é hora de procurar atendimento, pois é bem provável que o seu bebê esteja a caminho. Além disso, é importante que você saiba os principais sinais de alerta na gravidez. Leia o nosso post sobre os 10 sintomas na gravidez que não devem ser ignorados e se informe!

É importante salientar que cada organismo se manifesta de uma forma. Assim, nem todas as grávidas terão os sintomas descritos acima e não há necessidade de se preocupar caso não os sinta. No entanto, é essencial manter um acompanhamento de perto com o seu médico de confiança, a fim de avaliar se o bebê está se desenvolvendo como esperado e se a saúde da futura mamãe vai bem. Desse modo, compareça a todas as consultas de pré natal e faça os exames recomendados.

E então, ficou mais tranquila ao saber as principais manifestações das fase da gestação?

Saiba mais lendo o nosso post sobre tudo o que você precisa descobrir sobre a gravidez semana a semana!

Quais são as fases da gestação de um bebê
Compartilhar isto

Seja um assinante do Meu Fraldário