Sono do Bebê

Bebê pode dormir na cama dos pais?

Escrito por Equipe Fraldário

Apesar de ser um assunto bastante discutido, o fato da criança dormir na cama dos pais ainda gera muitas dúvidas. Os pais querem o melhor para os seus filhos, é claro, mas o amor que sentem por eles pode dificultar a tomada de certas decisões sobre a educação dos pequenos.

Pode parecer estranho e controverso, mas a cama compartilhada não possui apenas pontos negativos. Para alguns pesquisadores, esse comportamento também tem lá suas vantagens. Vejamos agora os prós e os contras desse assunto que tende a gerar muita polêmica:

Por que não deixar os filhos na cama dos pais

A Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda o sono do bebê em um carrinho ou no berço ao lado da mãe até os seis meses de idade, porém, nunca na mesma cama. Isso ajuda os pais a ficarem atentos a movimentações estranhas do filho, como vômitos e soluços.

Outro ponto positivo nisso é a facilidade na amamentação durante os primeiros momentos do bebê em casa. Dessa forma, a mãe não precisa se deslocar para o quarto da criança e o retorno para o sono torna-se mais rápido.

A dependência dos pais

Se você e o seu filho dormem na mesma cama, alguém já pode ter alertado sobre os riscos dele se tornar muito dependente dos pais. Para aqueles que não concordam com a cama compartilhada, a dependência que esse costume gera na criança é muito grande, e ela pode se tornar um adulto inseguro. Um dos principais argumentos é que a criança precisa ter o seu próprio espaço, assim como o casal precisa ter a sua intimidade preservada.

Risco de morte súbita

Conforme alerta a OMS, acidentes fatais podem acontecer durante o sono. Ao dividir a cama com os pais, o bebê pode ser chutado ou empurrado para fora da cama — ou os pais podem rolar por cima dele. Também pode acontecer do bebê ser sufocado ou ocorrer a reinalação do ar expirado, o que dificulta a reação de despertar.

Campanha de Doação de Fraldas

Os pontos positivos de dormir na cama dos pais

Mesmo com as recomendações da OMS, muitos pais ainda insistem na prática. Para eles, os benefícios da cama compartilhada também devem ser considerados. Confira o lado positivo em dormir com a criança:

Contato materno

Depois de nove meses na barriga da mãe, é importante que o bebê permaneça ao lado da genitora e em contato físico com ela por algum tempo.

O conceito chamado breastsleeping, um termo criado pelo pesquisador James Mckenna, combina as palavras sono e amamentação, e defende que a cama compartilhada é benéfica para o desenvolvimento da criança, por manter mãe e bebê em contato direto.

Assim, dormir na cama dos pais só não seria aconselhado se houvesse algum fator como alcoolismo, uso de drogas e de cigarros pelos pais — ou se o bebê for prematuro.

Maior incentivo para a amamentação

Os estudos realizados em universidades inglesas (Durham e Newcastle) conseguiram constatar que os bebês que dormiam com as mães sentiam 3 vezes mais necessidade de consumir o leite materno.

Isso é um ponto positivo muito interessante, já que sabemos da grande importância que a amamentação tem. O leite materno reduz o número de infecções e de doenças ao longo da vida da criança. Além disso, melhora não só o desenvolvimento físico, como também o cognitivo.

Mesmo que seja um tema polêmico, vale a pena refletir à respeito, não é? Sendo assim, compartilhe este artigo e leve o debate sobre a cama compartilhada para as redes sociais!